Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

24 Rés-do-Chão

24 Rés-do-Chão

O problema é meu, que tenho azar.

Uma amiga minha diz que ando revoltada com tudo e até ando, tenho que admitir. Mas depois há certas situações que não ajudam, pronto, pessoas que não ajudam, vá, pessoas do sexo masculino que não ajudam!

Para quem ler isto não pense que falo de todos os homens, não, eu não conheço assim tanto homem, falo de alguns homens com quem tive o prazer (denote-se a ironia) de estabelecer relações.

Para quem é um leitor mais atento aqui do blog, sabe que não tenho muita sorte com os homens. Desde homens que não superaram as ex-namoradas, a homens que passado uns meses de estarmos juntos lembram-se que não querem nada sério para passado uns tempos começarem uma relação séria. Homens que dão um belo romance de verão, mas que cortam relações que não existem para mais tarde te voltarem a procurar, sem motivo aparente, só porque sim, sem conversa, como se tivessem medo que mordas, quando és inofensiva, porque eu sou inofensiva e pés-no-chão. A homens que tentam conquistar duas melhores amigas ao mesmo tempo e achar que vão passar despercebidos.

Não sao os homens que são todos iguais, sou eu que sou um iman de homens cuja noção da realidade não é a melhor e a quem a racionalidade não assiste.

Portanto, jamais voltarei a dizer que os homens são todos iguais. Até porque os casos apresentados têm pouco em comum, sem ser o óbvio, que são completos idiotas, porque eu sou um bom partido!

Devido ao meu historial deixava-vos um conselho, que seria para não confiarem em homens que sabem tocar guitarra e que têm um paleio que dava para demover um psicopata de cometer homicídio, mas claro que casos são casos e eu não quero generalizar. O problema sou eu, não são eles.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.